skip to Main Content
A Agropecuária Gaúcha Mais Forte E Valorizada

A agropecuária gaúcha mais forte e valorizada

Criação do Quadro do Agente Fiscal Agropecuário Estadual de Nível Técnico da SEAPI

Ontem (30), o presidente do SINTARGS, Luiz Roberto Dalpiaz Rech, acompanhado do coordenador da Bancada Gaúcha, Deputado Giovani Cherini, reuniu-se com o Chefe da Casa Civil, Cleber Benvegnú e o Governador José Ivo Sartori para discutir assuntos relacionados aos técnicos agrícolas, entre eles, a criação do Quadro do Agente Fiscal Agropecuário Estadual de Nível Técnico da SEAPI mediante aprovação de uma nova lei. O governo reconhece a importância da categoria no serviço público estadual.

Saiba mais: a proposta de criação do Quadro do Agente Fiscal Agropecuário Estadual de Nível Técnico da SEAPI nasceu após audiência do SINTARGS e o Coordenador da Bancada Gaúcha, com o então Secretário da SEAPI, Deputado Ernani Polo (nº 17/ 15 00- 0023 799-5). Em audiência realizada com o atual Secretário da Agricultura, Odacir Klein, o SINTARGS teve a garantia de que terá o seu apoio.

Entre as atividades desenvolvidas pelos Técnicos Agrícolas da SEAPI, estão:

  • Cadastramento de propriedades e produtores no Sistema de Defesa Animal – SDA.
  • Cadastramento de Eventos: feiras, leilões, rodeios, carreiras e afins.
  • Emissão de GTAs.
  • Lançamento das vacinas aftosa, Brucelose e banho ovino.
  • Controle de piolhos e sarna ovina.
  • Declaração anual e complementar de rebanho.
  • Emissão de saldo de animais.
  • Relatórios, inspeção e atestado de contas da Inspetoria de Defesa Animal – IDA.
  • Preenchimento de multas e auto de infração.
  • Fiscalizações e inspeções em casas agropecuárias, eventos, frigoríficos, lactcínios.
  • Barreiras sanitárias móveis, fixas e postos fiscais de divisa.
  • Vacinações fiscalizadas, assistidas e realização por agulha oficial.
  • Entrega de vacina contra a febre aftosa (PRONAF).
  • Contagem oficial em rebanhos.
  • Acompanhamento e recepção de animais em feiras e eventos.
  • Educação sanitária.
  • Palestras.
  • Coleta de amostra animal e vegetal.
  • Controle e prevenção da raiva herbívora.
  • Georeferenciamento de propriedades.
  • Fiscalização em lavouras e pomares.
  • Fiscalização de agrotóxicos e sementes.
  • Acompanhamento de ações desenvolvidas pela Brigada Militar e Exército no combate ao abigeato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.